sábado, 31 de janeiro de 2015

= PETROBRAS DESTRUÍDA =


         Agora já não é somente a imprensa nacional que está preocupada com o escândalo que destruiu a Petrobras.
Em artigo publicado neste sábado, o jornal britânico Financial Times afirma que a presidente Dilma Rousseff precisa explicar o que sabia sobre a corrupção na Petrobras.”
"Embora ela não tenha sido acusada diretamente de envolvimento, como conselheira durante grande parte do tempo em questão, ela [Dilma] precisa explicar o que sabia e quando soube", afirma o editorial.
O artigos diz mais: “Dilma  precisa apoiar as investigações”.
Na verdade não culpo diretamente o PT. Ele faz seu papel de esconder o quanto for necessário seus furtos marginais.
O que culpo e muito envergonhado, é a oposição que do Congresso que deveria apontá-la quando nada como leniente. E não o faz. Ficam discutindo lá seus altíssimos salários, as vantagens do cargo, suas nomeações para este e aquele ministério. Querem que tudo continue como está até ver como é que fica.
São todos malandros.
Calhordas.
Saibam que o silêncio destes eleitos terminará por custar a desgraça de nossa nação, inclusive a deles próprios, o quê cairá sobre seus filhos e netos.

         Farra na Petrobras.
         Tenham um lindo domingo.  
J. R. M. Garcia.




quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

= DESPEDIDA SOLITÁRIA =


Não.
Não a esqueci.
Isso não.
Mas a lembro sem mágoa, sem nostalgia, sem tristeza.
Uma lembrança fria que me deixa um sorriso nos lábios.
Na verdade foi o tempo que passou.
Nunca mais a vi.
Nunca nos escrevemos. 
Não havia mesmo o que dizer.
Será que havia?
Será sempre uma dúvida.
A gente finge que teria o que dizer. Mas na verdade não.
O tempo passou. .
Acho que se a reencontrasse não saberia quem.
Abraços a todos.
J. R. M. Garcia.


domingo, 25 de janeiro de 2015

TABUS - REFLEXÕES - PARADIGMAS - MEMÓRIAS: = CALE A BOCA =

TABUS - REFLEXÕES - PARADIGMAS - MEMÓRIAS: = CALE A BOCA =: “PT PEDE CAMPANHA PARA CONTROLE DE MÍDIA” 22/JANEIRO/15 Folha de São Paulo       Sempre que se inicia um  governo  o PT investe u...

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

= CALE A BOCA =

“PT PEDE CAMPANHA PARA CONTROLE DE MÍDIA”
22/JANEIRO/15
Folha de São Paulo

      Sempre que se inicia um governo o PT investe uma vez mais sobre o malsinado controle de mida. No fim quer amordaçar a Imprensa.
Mais ?
      Já não chega as contribuições financeiras que os órgãos públicos pagam as jornais, tvs, rádios, revistas e empregos nomeados? Não é isso o bastante para o controle?         
Ou será que este governo corrupto que aí está quer o controle da censura expressa, como adotou a Argentina, Venezuela, Castro e outras ditaduras mal disfarçadas no ramo? No fim, à vontade deles, terminaríamos todos no DOI – CODI. Eu fui lá. É ruim.
     Nosso Código Penal e de Processo Penal regulamenta a matéria muito bem. Ali estão estabelecidos limites claros da responsabilidade cível e penal sobre os atos da Imprensa e do jornalista sobre os danos que venha a causar a terceiros como infundados.  O Ministério Público está atento na defesa dos direitos individuais.
       Se na Roma antiga fosse Cícero, tribuno impoluto viria ao Senado dizer: “Usque Tande Catilinia Paciencia Nostra.”( Até quando Lula abusará de nossa paciência).
       PT, vocês arrasaram o país desperdiçando a melhor opor unidade que tivemos no preço alto das comdities. Tudo acabou. Entreguem o governo enquanto é tempo.
       Isso enquanto é tempo.
       Bom de fim de semana.
       J. R. M. Garcia.  
      
        



terça-feira, 13 de janeiro de 2015

= E AGORA ? =

PARÓDIA DE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE



Ô SÔ ZÉ !


E agora ?
Não houve festa.
A luz não foi acesa,
o povo não veio,
a noite está senegalesca,
e agora ?
E agora, cadê o Joaquim?
E agora, você nem existe. 
Você que é sem nome,
que não  zomba de ninguém,
Você que não faz versos,
que não ama, protesta?
E agora?

Está sem ninguém,
está mudo,
está levando apenas pedradas,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite continua muito quente,
o dia veio com sol escaldante,
o metrô já passou. 
O riso converteu em lágrimas,
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora?

E agora?
Sua amarga palavra,
sua febre constante,
seu jejum,
seu ódio, - e agora?

Com a chave na mão 
quer abrir a porta,
mas não existe porta;
quer morrer no mar,
mas o mar secou;
quer ir para Minas,
Minas não há mais!



Sô Zé e agora?
Sozinho no escuro,
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede,
sem cavalo. 
Você marcha, Zé !

Para onde, Sô Ze?

J. R. M. Garcia.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

= QUEM É QUEM =

QUEM  É  QUEM ? 

QUEM É QUEM ?

Será que alguém seria capaz de identificar os grupos de marginais nesta nação?
Não são ainda facções, mas grupos. Bandos que se associam para uma finalidade, depois separam-se e voltam a juntar-se, afim de colimar  outros fins análogos e nefastos.  
Estas confrarias do mal tanto se ajuntam no Governo Federal, Estadual, Municipal, no Congresso, nas Câmaras Municipais, dentro da Polícia Militar e Civil  e em menor grau dentro do Judiciário.
Um exemplo: George Hilton (PRB-MG), esta semana empossado no cargo de ministro-esporte, está sendo processado pela União por dívidas de impostos. Outro exemplo inominável é a saga da família Sarney que destruiu o Estado do Maranhão.
Mas isso não é só. Até porque outros ministros de muito maior projeção ocuparam lugares de relevância junto ao Governo Federal e estão soltos. Outros funcionários de empresas estatais, empresários renomados que propinaram e propinam empresas de destaque nacional, donas de obras vultosas.
Ao lado destes, com muito menor expressão e com furtos menores, também ocupam o lugar com os quais junto deveriam estar os delinquentes por tráfico de drogas, furtos, sequestros. Assassinatos.
Todos são idênticos. De Sarney a Renam e Marcola, igualam-se. A única coisa em que diferem são seus processos de atuar.
Como arrumar cadeia para tudo isso não sei.
Mas a verdade é que todos na topologia criminal são iguais, com diferencial apenas na quantificação das penas, sendo as mais graves aos políticos.
Pois bem. A não identificação desta marginália resulta que, em dado momento, uma “Bastilha” ocorrerá aqui.
Um abração a todos.
J. R. M. Garcia. 

sábado, 3 de janeiro de 2015

"TRINTA E UM DE MARÇO AINDA NÃO ACABOU"


TRINTA E UM DE MARÇO AINDA NÃO ACABOU

Isso já faz muitos anos. Era uma terça feira nublada, sem sol.
As manchetes eram estas.
31 de março de 1964“0 General Olímpio Mourão Filho (1900-72), chefe da 4ª Região Militar em Minas Gerais, divulga uma proclamação contra João Goulart (1918-1976) e a "ameaça comunista" que ele representava.Precipitando a marcha de suas tropas em direção ao Rio de Janeiro, recebe a adesão  da maioria dos comandos militares.”




No Estadão idem.
correio da manhã 

E por aí seguiam todas as manchetes dos jornais.
Eu era, então, Presidente da FURP, (Federação Universitária de Ribeirão Preto), 23 anos, estudante de Direito. O Presidente do Centro Acadêmico foi preso no dia 1º de Abril. Ele, ao que sei, sofreu torturas, a mim não.
Ainda não preso, tinha de comparecer todos os dias na sede do Exército local, onde passava o dia. Somente interrogatórios.
E hoje vejo, com ufanismo, Gilberto Carvalho, entre aplausos gerais, companheiro de Lula de muitos anos, gritar acintosamente em sua posse “que essa é a nossa quadrilha.”
"A quem disse que perdeu a eleição para uma quadrilha, eu quero responder dizendo que essa é a nossa quadrilha. Para eles pobre é quadrilha, é essa a quadrilha dos pobres que foi injustamente marginalizada e agora está sendo tratada com um mínimo de dignidade. Com muito orgulho eu quero dizer: eu pertenço a essa quadrilha e vamos continuar mudando o país. Não temos que ter medo nem vergonha de ninguém", (Gilberto Carvalho no discurso de posse).
Em clima festivo, em ritmo de festejos, em alegria geral foi a festa ontem destes que se intitulam quadrilheiros do PT.
A revolução assim chamada de 64 foi afinal o quê?
Foi para gerar estes estigmatizados quadrilheiros?
Muitos foram mortos, carreiras sacrificadas, talentos perdidos em nome de quem? A favor do quê? Para quê? Para estes quadrilheiros empalmarem o poder e dividi-lo, sem metas, entre si.
E agora MPL (Movimento do Passe Livre), apartidário, apolítico, jovens descomprometidos vão apanhar nas ruas sem qualquer razão de ser a não ser seus desgosto, sua desesperança, suas lágrimas de desespero, frente a uma nação que, absolutamente, não lhes dão oportunidades a não ser estas de serem espancados nas ruas.



 Bem o disse Geisel “...pois muitos desses que lideram o fim da ditadura não estão visando o bem do povo...”
Dia 9 terá pancadaria nos meninos do MPL (Movimento do Passe Livre), mas isso não será para sempre.
Viva o Passe Livre.
J. R. M. Garcia. 

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

= 2.014 =



2.014

ROGAI  POR  NÓS

      Que ele venha!
      Que nos traga saúde, ânimo, fé, esperança, amor.
   Que em nossas festas, folguedos, estejamos felizes, alegres sozinhos ou com nossas famílias.
    Cada um de nós poderá, de alguma forma, fazer melhor ou pior no ano que virá.
     A felicidade está no que nos rodeia. Mas, também, está em nós. Nosso sentir e reagir ao mundo são, também, uma construção nossa. Se sentirmos e reagirmos mau ao que nos cerca, tudo tornar-se-á confuso, estranho, agressivo e o mundo ser-nos-á o pior. A adaptação ao que for possível é parte de nós.  
  O mundo não mudará unicamente porque o calendário clássico e formal determinou.
      Não.
      Teremos Carnaval, dezenas de feriadões, Copa do Mundo, eleições, muito trabalho.
      Mas teremos as costumeiras chuvas a encher-nos os bueiros, os 50.000 assassinatos em nossas ruas, a falta de assistência do Serviço Público, as mortes nas filas, os desabamentos usuais a comover-nos a todos, a dengue, os tiroteios para todo lado, a inflação dissimulada. De qualquer forma estas mazelas são parte de nossa História. Não há como evitá-las. Temos de vivê-las.
      Que Deus nos dê paciência, muita fé, amor para cumprirmos com alegria e muita felicidade mais este ano que de 2.014.
   Meu agradecimento a todos que me acompanharam ao longo deste ano, um beijo de muito carinho em cada uma e cada um.
      Que Deus nos abençoe a todos.
      Abraços.
      J. R. M. Garcia.