sábado, 27 de dezembro de 2014

= ANO NOVO =


          São tantas as mensagens de Ano Novo, que qualquer uma que me viesse à memória não seria original.
          Aliás, nada é original nesta altura da literatura no planeta. Tudo já foi escrito, falado, visto, interpretado.
            Logo, é de boa conveniência, que não cuidemos do incomum.
            Mas a verdade é que penso na coisa mais brejeira do mundo.
            Alguma coisa é mais trivial do que o blogueiro pensar com amor, respeito e admiração no leitor?
          Alguns de vocês eu conheço. Poucos. Outros não. Mas sei que com paciência e tolerância que me lêem com atenção e complacência.
          Alguns com mais assiduidade, outros nem tanto, mas muitos voltam a ler-me.
            Pois é em vocês que neste instante penso.
         Alguns estão tristes, outros alegres, outros felizes, alguns doentes, outros cheios de esperança e muitos indiferentes ou entediados.
           De uma maneira ou de outra, se você chega a este instante e me lê aqui, é porquê você sobreviveu ao ano que passou, apesar dos 56.000 assassinatos no país, a voracidade do Estado antropofágico que quer destruir-nos a todo custo, a falta de segurança, as mazelas do transporte coletivo, ao salário reduzido pela inflação que está em marcha, aos assaltos, as doenças, a robalheira dos poderes públicos e muito mais. Ora, se você venceu o ano que finda, é um herói.  Nada de pior há de acontecer-lhe. Deus gosta de você.
          Portanto, se assim somos, continuemos na luta. Nada de pior vai nos acontecer além de tudo que está aí. Com fé, na sombra de Deus, teremos um ano de luta cruel, principalmente contra os poderes públicos, mas venceremos, porquê vencemos o ano que passou.
            Abraço-os a todos, um por um e que minhas preces cheguem até vocês.
            J. R. M. Garcia.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

= ! =

A solidão ronda...
O silêncio oprime...
As horas passam...
Nada acontece...
O tempo escoa...
A chuva cái...
O dia vai...
A noite vem...
O mesmo é sempre...
O sentido é nenhum...
O coração dói..
A prece é muda...
Tudo que foi feito é nada...
As lembranças se apagam...
Os libertos são cativos...
Tudo igual, igual, igual...
Ouçamos...
Ouçamos o nada...

J. R. M. Garcia

domingo, 21 de dezembro de 2014

= VOCÊ SABIA ? =


No auge das várias idades do gelo, nos últimos milhões de anos, cerca de 30% de toda a terra do planeta eram cobertos por uma espessa camada de gelo.

XXXXX  -----     XXXXX

A mais baixa temperatura do hemisfério norte não foi registrada nas regiões árticas. Em janeiro de l964, os termômetros marcaram --71º na aldeia de Oymyakon, na Síbéria, a 320 km. do Círculo Ártico. 

xxxxx   -----    xxxxx

O jogo de futebol americano tornou-se tão violento na estação esportiva de 1905 que pelo menos dezenove jogadores morreram nas competições universitárias e colegiais. 

xxxxx    -----     xxxxx

As lutas de boxes no final do século dezenove consistiam em mais de cem rounds (os rounds eram determinados por nocautes) e os lutadores não usavam luvas. 

xxxxx   -----   xxxxx

Segundo estimativas, os espanhóis mataram 1,5 milhões de índios poucos anos depois de Colombo ter descoberto o Novo Mundo, em guerras de saques. Com moeda idêntica, o Destino cobrou-lhes na Revolução Espanhola, anos depois, o maior massacre que um país poderia ter feito contra seus compatriotas. 

xxxxx   -----    xxxxx 

A maioria dos adultos com boa saúde pode passar sem comer um mês ou mais. Entretanto, precisam beber água pelo menos um litro por dia. 

xxxxx   -----     xxxxx

Os romanos gostavam tanto de comer ratos silvestres que as famílias de alta classe tinham criações deles em casa. 

xxxxx  -----   xxxxx

O vinagre era o ácido mais forte conhecidos pelos antigos.

xxxxx   -----   xxxxx

Ninguém passava fome ou não tinha roupas para vestir na benevolente ditadura do império inca destruído por saque pelos colonizadores espanhóis. 

xxxxx    -----      xxxxx

Um terço dos automóveis de Nova York, Boston e Chicago eram, em 1900, movidos a eletricidade,  com baterias em lugar de motores a gasolina. 

xxxxx   -----    xxxxx

O número de espécie de insetos  existentes hoje é maior do que todas as outras espécies de animais juntas.

Depois tem mais. Muito mais. 
Bom início de semana. 
Abraços. 
J. R. M. Garcia. 





sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

= NINGUÉM VAI LER = (PENINHAAA !!!! -rss)

UNIVERSO   QUÂNTICO

A DIFERENÇA ENTRE “FÍSICA CLÁSSICA” E “FÍSICA QUÂNTICA”

1)-É simples e não é.
Para os que compreendem o que vem a ser Física Clássica, não é difícil entender que as fórmulas, os paradoxos, as equações que desta cuidam, são exclusivamente no atentar das massas nos corpos aglutinados em densidades mensuráveis, seu comportamento e leis que os regem.
E, se pergunta:
“Há outras “leis” que regulamentam o comportamento dos corpos celestes, e a própria Natureza na face do planeta?”

2)-No século XIX, a matéria  era tida como a realidade fundamental e final. “Os cientistas viam o Universo como uma grande máquina comandada por leis imutáveis. O tempo “passava” de forma confiável do passado ao presente. O efeito se seguia à causa em uma seqüência rígida e reafirmadora.”(fls.69)  
O século XX trouxe com ele novas formas de olhar para fora do espaço e para dentro, para o átomo. As duas direções forneceram revelações perturbadoras e confundiram realidades clássicas.
Aprendemos, de um só fôlego, que energia e matéria são duas diferentes expressões da mesma coisa. A própria luz  -  até hoje sem explicação – algumas vezes se comportava como uma onda e em outras como uma corrente de partículas.
Dentro de um átomo, que anteriormente era concebido como uma bola indivisível, foi descoberto um universo em miniatura que contradizia todas leis da ciência clássica.  
O átomo tem aproximadamente dez milésimos de milímetro de diâmetro, (infinitamente pequeno, não é?) mas o mais espantoso é que ele tem, ainda, 99,99% de seu volume em espaço vazio. Os cientistas acreditam que em um corpo humano, a relação entre a chamada massa e o espaço vago entre ela é de 200 bilhões por um. Ou seja, nada. Se todo espaço fosse eliminado entre os átomos, a terra não teria mais que o tamanho de uma bola de “baseball”, embora com densidade imensa.
Somos apenas um pensamento.
Isso tudo e muito, mais o século XX trouxe ao conhecimento da Ciência, o que levou Einstein a dizer: “O átomo é mal-assombrado. Eles parecem capazes de existir em vinte lugares diferentes.” E exasperado, o Nobel de Física Wolfgan Pauli a exclamou: “No nível atômico o mundo objetivo deixa de existir”.

3)As leis que regem este micro universo, suas fórmulas, seus comportamentos paradoxais e inexplicáveis momentaneamente, são o objeto de estudo da Física Quântica. Crê-se que, ao desvendar este mini universo, revelado estarão os segredos do Universo profundo.
Isso é a Física Quântica.
Simples, não é?
Simples assim.
J. R. M. Garcia.








sábado, 13 de dezembro de 2014

ONTEM E HOJE



ONTEM  E  HOJE

Não existia sabão no mundo mediterrâneo antigo. O azeite de oliva era usado tanto para cozinha quanto para lavar o corpo. Agora não tem nem azeite e nem sabão.
xxx---xxx

A escravidão era uma instituição universal na antigüidade. Não foi questionada nem mesmo no Velho e o no Novo Testamento. Agora inventaram o cartão de crédito e a escravidão oficializou com a benevolência de todas religiões.

xxx---xxx

Em 1845, a cidade de Boston considerava ilegal  - por motivos sanitários – possuir uma banheira. Agora, aqui, é mesmo por falta de água.

xxx---xxx

Ninguém passava fome ou não tinha roupas na benevolente ditadura do império inca. Ag ora há fome e gente sem roupa à vontade. Efeitos de nossa civilização  moderna.

xxx---xxx

Andrew Carnegie, milionário americano doou cerca de 330 milhões de dólares, o que hoje é uma fortuna incalculável, para bibliotecas, projetos de pesquisas e organizações para a paz mundial. Nem um tostão para a BOLSA FAMÍLIA. Só este dinheiro daria para tratar do Brasil todo sem ninguém trabalhar por 10 anos. Mas ele não gostava de preguiçosos.
xxx---xxx

Johon D. Rokefeller fez sua primeira contribuição a uma causa filantrópica quando tinha dezesseis anos, em 1855.  Quando morreu, oitenta e dois anos mais tarde, o magnata já tinha doado 531.326.842 dólares. Isso pagaria a dívida da PETROBRAS para irmos já, já fazermos outra. -rs-
xxx-xxx

Por achar que sua invenção era tão importante que deveria ser propriedade pública, o químico inglês John Walter jamais a patenteou – foi o inventor do fósforo. Se fosse brasileiro estaria até hoje demandando a patente.

xxx---xxx

Guerrit Smith,  comerciante descendente de holandeses, pôs à disposição dos escravos fugidos 42.000 hectares e outros o seguiram.  Aqui no Brasil, até hoje estamos demandandando quem é dono dos quilombolas.

xxx---xxx


Quando Thomas Edison, em 1905, soube que todas as baterias fabricadas por sua companhia estavam com defeitos, ofereceu-se para devolver o dinheiro a todos os compradores. Do próprio bolso, devolveu 1 milhão de dólares que na, época, valia uma fortuna. Aqui certamente todos iriam para a demanda como no caso do roubo da PETROBRAS.

J. R. M. Garcia



quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

= PRÍNCIPE POBRE =

PRÍNCIPE POBRE

O dia estava escuro, frio, úmido sob a luz difusa de uma aurora que demorava a surgir. Contornando as águas escuras dos manguezais de Cubatão, a comitiva já trotava no lusco fusco rumo a serra, em direção a São Paulo. Muito agitado estava o espírito de todos. Eram jovens com menos de 30 anos. Padre Belchior; Saldanha da Gama, 21 anos, Secretário Itinerante; Gomes da Silva; também chamado “Chalaça”;  Luís Gama; João Carlota e João Carvalho. O chefe deles, apenas com 23 anos, vinha de Santos onde, no dia anterior, passara inspecionando as seis pequeninas guaritas daquele porto.
Com estes jovens seguia um rapaz epilético, com 23 anos, de saúde frágil, sofrendo momentaneamente de dores intestinais, alçado a condição de Príncipe Regente há menos de dois anos, sem qualquer experiência.  Exímio cavaleiro montava uma “mula baia gateada”, sem nenhum chame, para subir com alguma segurança os íngremes, esburacados e enlameados caminhos da serra. Era como um tropeiro comum. Um Príncipe muito pobre, sem exército, sem nada senão a comitiva de jovens que seguia com ele. Tinha a embalar-lhe tão só o ânimo e sonhos peculiares da juventude, e mais as 180 curvas em zig-zag da trilha esburacada, debruçada sobre precipícios que conduzia a São Paulo.
Seria um dia agitado para todos. Era o dia 7 de Setembro de 1822 e proclamariam a Independência política do Brasil.
Mas, para surpresa do mundo, com um país de escravos, negros forros, mulatos, indios e mestiços, gente paupérrima e muitos latifúndios, ele foi e, do Ipiranga, sem aparato algum, proclamou a independência do Brasil separado de Portugal.
Julguem-no como quiserem, mas para mim D.Pedro Iº foi herói.
Tenham ótimo fim de semana, pois o sábado já vem.
Abraços.
J. R. M. Garcia.      

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

= SOMOS COMPLICADOS DEMAIS =

= SOMOS COMPLICADOS DEMAIS =


      Você é o quê parece ser, o quê na verdade pensa que é e o quê realmente você é.
    Quando você olhar para uma pessoa  -seja ela quem for:  sua amada, o Papa, o silvícola australiano ou mesmo o quitandeiro da esquina- saiba que você estará vendo, no mínimo, dois indivíduos bem distintos. Um é a pessoa consciente, a outro é ela mesma mas inconsciente.
   Correto estava Freud, quando afirmou que o indivíduo é pouco mais ou menos senão “uma ilha de consciência em um oceano de inconsciência”.
      Todos nós, se não somos mais que um, somos na verdade vários.
      Seres bem estranhos, é o que somos.
      Essa apenas uma interpretação muito resumida da psique humana. Na verdade somos muito, mas muito mais complicados.
      Já em 1918, Jung escreveu um ensaio “SOBRE O INCONSCIENTE” e, daí para cá, ninguém minimamente letrado pode considerar como novidade esta forma de apreciação da espécie humana. O mundo da percepção interna e da percepção externa, divide o universo em dois: o da racionalidade e da irracionalidade. Negar um dos dois é tolice prosáica.
      Schiler (poetafilósofo e historiador alemão) em 1780 afirmou que somente a arte aproximava estes dois mundos diversos. Não é verdade, segundo Jung e Freud.
    A permeabilização  destes dois universos é possível sim com um ingente esforço de cada pessoa.
    Mas isso é assunto para outra hora. Aqui é somente um Blog.
      Tenham uma proveitosa semana.
      Abraços.
      J.R. M. Garcia.  
     

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

= ESTEJAM ATENTOS NAS COINCIDÊNCIAS =


      São fenômenos que acontecem em realização simultânea, inesperada, de dois ou mais acontecimentos.  De uma maneira geral imprevisíveis. Estes fatos ocorrem sem qualquer explicação. Alguém escapa de um desastre “por milagre”. Uma pessoa encontra outra, em um país distante, quando na verdade não a via por dezenas de anos e não só, mas ainda encontra outra, também em iguais circunstâncias, no mesmo momento. E, realmente, tais fatos sucedem.
       Quando estas ocorrências são conseqüentes, dão algum resultado prático, o psicólogo e filósofo suíço Jung, nominou-as de “coincidências significativas”, ou seja, “sincronicidade”. Na verdade, nestes casos, o impossível acontece.
     Estejam atentos nas coincidências. Elas tem bases científicas e são, na verdade, prenúncios de acontecimentos nem sempre sequer imagináveis. Elas, todas, estão a seu alcança. O necessário é estar atento nelas e anotá-las. "O FÍSICO MAX PLANCK DISSE: "A energia é o origem verdadeira de toda matéria. Realidade, existência verdadeira, que é visível e perecível, isso não é matéria, mas a invisível e imortal e invisível -- isso é a verdade."
      Jung, psiquiatra, médico, filósofo e Pauli, Nobel de Física, descobridor de uma partícula quântica denominada “spin”, escreveram a quatro mãos um livro sobre a sincronicidade, inferindo que esta partícula quântica em especial tinha um comportamento anômalo e não obedecia a Física clássica, o que levou Einstein a exclamar: “...os átomos assombram-me.” Neste livro Pauli e Jung sugerem que estas nanopartículas teriam vontade própria, agindo por si mesmas independente de causa e efeito.
       Neste contexto, para espanto do mundo científico, surge a idéia de “acausalidade”.
       A “acausalidade”, mais não é senão o fenômeno que acontece sem qualquer razão de ser. Sem qualquer causa.   Na filosofia e ciência clássica, não se aceita este tipo de fenômeno. Entende-se que não há efeito sem causa. Assim, para cada causa existe um efeito e cada efeito uma causa. Este é o pensamento grego aristotélico.
     Mas estudos mais acurados, sobretudo entre partículas atômicas menores que o átomo, como o spin, meson este fato ficou provado.
A “acausalidade”, sem qualquer outro sentido, deveria ser estudada em cadeira própria de Física e Matemática pura, mas ainda é cedo para isso. Jung, mais que Pauli, entendeu a “sincronicidade” (termo criado por ele), como um meio de procurar soluções para o futuro e até mesmo à previsão de fatos ainda não determinados com base nas observações usuais.
Logo, há dois comportamentos bem diversos em Física. Um é dos corpos celestes, dos objetos no plano físico de nosso planeta. Outro é o das partículas menores que o átomo: Bósons da força fraca, Quarks,  Glúon ,ElétronNeutrino.  Fóton,  Bônus: Bóson de Higgs etc.
     Se existe algo que pode ser chamado de elemento fundamental da natureza, não é terra, nem água, nem átomo, nem próton ou nêutron, e sim essas partículas. Duas delas, os quarks e elétrons, formam toda a matéria que você vê. Outras 4 são bloquinhos de energia pura e trabalham pra manter os quarks unidos, deixar seu corpo no chão, iluminar as coisas…”
Digamos que somos cópias holográficas fora do tempo, eternizadas de feitio previsível através das “sincronicidades” inevitáveis.
     Assunto complexo demais para um Blog de leitura curta, no que me desculpo para alguns e congratulo-me com os poucos que me entenderem.
         Abraços.

         J. R. M. Garcia.  

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

= COINCIDÊNCIAS =

^
       São fenômenos que acontecem em realização simultânea, inesperada, de dois ou mais acontecimentos.  De uma maneira geral imprevisíveis. Estes fatos ocorrem sem qualquer explicação. Alguém escapa de um desastre “por milagre”. Uma pessoa encontra outra, em um país distante, quando na verdade não a via por dezenas de anos e não só, mas ainda encontra outra, também em iguais circunstâncias, no mesmo momento. E, realmente, tais fatos sucedem.
       Quando estas ocorrências são conseqüentes, dão algum resultado prático, o Psicólogo e Filósofo suíço Jung, nominou-os de “coincidências significativas”, ou seja, “sincronicidade”. Na verdade, nestes casos, o impossível acontece.
      Jung, psiquiatra, médico, filósofo e Pauli, Nobel de Física, descobridor de uma partícula quântica denominada “spin”, escreveram a duas mãos um livro sobre a sincronicidade, inferindo que esta partícula quântica em especial tinha um comportamento anômalo e não obedecia a Física clássica, o que levou Einstein a exclamar: “...os átomos assombram-me.” Neste livro Pauli e Jung sugerem que estas nanopartículas teriam vontade própria, agindo por si mesmas independente de causa e efeito.
       Neste contexto, para espanto do mundo científico, surge a idéia de “acausalidade”.
       A “acausalidade”, mais não é senão o fenômeno que acontece sem qualquer razão de ser. Sem qualquer causa.   Na filosofia e ciência clássica, não se aceita este tipo de fenômeno. Entende-se que não há efeito sem causa. Assim, para cada causa existe um efeito e cada efeito uma causa. Este é o pensamento grego aristotélico.
     Mas estudos mais acurados, sobretudo entre partículas atômicas menores que o átomo, como o spin, meson este fato ficou provado.
A “acausalidade”, sem qualquer outro sentido, deveria ser estudada em cadeira própria de Física e Matemática pura, mas ainda é cedo para isso. Jung, mais que Pauli, entendeu a “sincronicidade” (termo criado por ele), como um meio de procurar soluções para o futuro e até mesmo à previsão de fatos ainda não determinados com base nas observações usuais.
Logo, há dois comportamentos bem diversos em Física. Um é dos corpos celestes, dos objetos no plano físico de nosso planeta. Outro é o das partículas menores que o átomo: Bósons da força fraca, Quarks,  Glúon , Elétron, Neutrino.  Fóton,  Bônus: Bóson de Higgs etc.
         Se existe algo que pode ser chamado de elemento fundamental da natureza, não é terra, nem água, nem átomo, nem próton ou nêutron, e sim essas partículas. Duas delas, os quarks e elétrons, formam toda a matéria que você vê. Outras 4 são bloquinhos de energia pura e trabalham pra manter os quarks unidos, deixar seu corpo no chão, iluminar as coisas…”
Digamos que somos cópias holográficas fora do tempo, eternizadas de feitio previsível através das “sincronicidades” inevitáveis.
        Assunto complexo demais para um Blog de leitura curta, no que me desculpo para alguns e congratulo-me com os poucos que me entenderem.
         Abraços.

         J. R. M. Garcia.  

domingo, 30 de novembro de 2014

= CEM DIAS...” ALMYR KLINK” =

NESTE BARCO A REMOS ALMYR KLINK ATRAVESSOU A ATLÂNTICO


       Almyr Klink, maravilhoso livro “CEM DIAS ENTRE O CÉU E MAR”, no qual narra sua epopéia na travessia do Atlântico em um barco a remos. Ao seu final, com naturalidade e singeleza, termina sua jornada no litoral de Pernambuco, com sentimentos simples mas verídicos. São mais de 6.500 km. (sem GPS naturalmente), acompanhando correntes marítimas, ventos, turbulência e ondas de mais de dez metros de altura, traz na força dos braços seu pequenino barco da África ao Brasil. Um feito inédito. Digno. E tal sua simplicidade ergue-se sem o  ufanismo de um Charles Lindbergh , sem pinta de herói, sem qualquer homenagem a prestar-lhe o Governo brasileiro,
         Vejamos sua últimas palavras ao término no livro.
         Elas são significativas.
“Na quietude daquela noite, a última, ancorado no infinito sossego da Praia da Espera, sonhando com os olhos abertos e ouvindo outros barcos que também dormiam, descobri que a maior felicidade que existe é a silenciosa certeza de que vale a pena viver.
E dormi. A “lâmpada” ficou acesa. “
         J. R. M. Garcia. 

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

= JUSTIFICATIVA =

JUSTIFICATIVA



            Eu disse aqui, -aliás escrevi- , uma crônica a qual criticaram-me por lamentar a terceira e última idade.
        Foi domingo passado. Mais precisamente dia 16 deste mês.

             Ali afirmei:

        Em que isso atenta ao pudor?

        Onde isso diz inverdades?
        Onde minto?
        Onde há contradição?
        Aaaahhh!
 Mas bateram-me pesado com o labor e sabor de chibatadas!
É como se, com palavras de heresia sacrílega, houvesse textualizado  termos criminosos e não verdades tão banais quanto tão antigo existe o ser humano no planeta.
Eu poderia também ter somado, que na velhice, pessoas há que colhem os frutos do respeito, da veneração, da atenção, do carinho  que eventualmente lhes devam. Mais que o tributo de uma vida longa e cheia de lutas, é um dos legados maiores que pode o homem deixar. Mas não. Ao contrário quis firmar o lado negativo disso tudo...
E por que não deveria ?
Por que mentiria?
Tão verdade é a gratidão, quão verdade é a tristeza do poente.
Ao leitor justo e atilado saberá fazer a diferença. Os que somente assistem a um lado, certamente é um pouco caolho e o mundo, a idade, lhe endireitará a visão.
Talvez não saiba que a um cronista, a vitrine da vida é mais que um espelho do mundo, é o que vai além deste mostruário.
Abração  amigas(os) que sempre leem-me.
J. R. M. Garcia. 


sábado, 8 de novembro de 2014

= O UNIVERSO A CADA INSTANTE SE CRIA=

                               O universo a cada instante se cria.  
                        Cinco são seus sentidos perceptíveis. Outros há, obviamente, que estão distantes de nossa percepção, mas existem também.
                       Eu vejo o bem e mau, escolho-os, decido os caminhos por onde vou, piso nas pedras, na água, no fogo. Ora aprecio o amargo, o doce, o azedo, o acre e até o insípido. Sinto o calor, o frio, o mais ou menos quente. Ouço as músicas que gosto e as que não gosto também.  Os aromas sinto-os com maior prazer, evitando uns e aproximando dos que mais apetecem-me.
                        Mas é além de meus sentidos perceptíveis, é que realmente começam minhas verdadeiras sensações. De meu cérebro vem-me verdadeiras emoções desejadas e indesejadas,  as quais tento as vezes fugir e outras não.  Lembranças ruins tiram-me o sono, outras passeiam comigo em jardins que sequer consigo lembrar. Negócios, dívidas tiram meu sono. Preocupações fundadas ou não exasperam-me quase a loucura. Algumas falsas, outras reais, outras possíveis e impossíveis, perturbam-me como raios que passassem em minha mente.
                        Logo, o mundo palpável, sensível dos chamados cinco sentidos, molesta-me muito menos do que aqueles que andam por minha alma. E sabe por quê ? Porquê imagino que estou muito mais preparado para lidar com os fatos corriqueiros e banais de meus sentidos mais sensíveis, e muito menos com a alogia do que me vai no espírito. A lógica do espírito é outra. Ela deve existir – certamente existe – mas não estamos acostumados a lidar com ela. Nossa necessidade maior, mais premente, aparentemente é pagar dívidas, fazer novas dívidas, cuidar do que materialmente sentimos como necessário e evitar os azares destes compromissos descumpridos. Atendemos ao grito do corpo, mas esquecemos que a alma pode estar gritando desesperadamente por socorro. E ela, a alma, o faz em uma alogia que ainda não entendemos, enquanto que os sentidos superficiais  gritam. Aprenderam a gritar.
                        Mas saibam, tenham certeza, os dois, tanto o espírito como o corpo fazem parte de nosso universo.
                        Um universo dentro de nós e o outro fora de nós.
                    Acertar o compasso de ambos não é fato para um Blog, mas sim para todo um longo estudo ainda de remota compreensão.
                        J. R. M. Garcia.    

                        

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

= ELES ESTÃO EM CAMINHO ERRADO =

MUITO DA CIÊNCIA ESTÁ ERRADA 

               


Que me digam que estou ficando louco. ´
É possível !
Mas não posso mais deixar de dar a conhecer que a realidade que experiencio neste planeta é falsa. E isso me incomoda muito. É como se mostrasse um racionalista cartesiano, aristotélico, quando na verdade, embora o crendo verídico, vejo muito mais e além.
Mas...
E que “mas” é esse?
Este é o “mas” do físico Wolfgang Ernst Pauli com a inexplicável teoria do spin; são as vastas experiências de Joseph Banks Rhine com 50 anos de trabalhos laboratoriais na universidade de Duque; Einstein com sua petulância: "Eu jamais acreditaria em fantasmas, mesmo que eu visse um”;  Enrico Fermi e  as dúvidas inexplicáveis sobre a existência ou não de seres extra terrestres;  as experiência do psicanalista húngaro, Sándor Firenczi,  um dos mais íntimos colaboradores de Freud, tornou-se famoso pelas experiências psicanalíticas no campo da parapsicologia; é Niels Bohr provando em uma finíssima placa de ouro a presença de que dois corpos podem ocupar dois lugares a um só tempo, no universo, e Einstein, que assistiu a experiência, negando do fato diz que  “...Meu Deus não joga dados com o Universo”; Jung convivendo e dialogando com suas visões.  Toda esta gente laureada com o Nóbel de Física e Química e ciências tais constatam estes fatos.
Causas acausais existem.
E não procurem o porquê?
Isso seria tolice.
Este mundo aparente é apenas físico e nele causas sem efeitos não existem e vice versa. Quando muito somente para consumo racional.
Este, de causa e efeito, é estágio de Aristotales, que existiu a 322 anos antes de cristo. Um brilhante e inesquecível Mestre, mas verdades escapam de seu paganismo da época.
Agora, a Física vem demonstrando passo a passo que “fantasmas” existem. E “fantasmas” físicos, visíveis, palpável, sufiecientes para alterarem o “status quo”.
Melhor seria a afirmação de Santo Agstinho: “A graça é um ato inexplicável.”
Por tudo que vejo, olho, assusto, enchergo sim milagres inexplicáveis na Física, na Química, na Biologia e nas ciências em geral.
E sobre fantasmas?
Já os vi. Alguns. Não consigo explicar.
Deste modo quero afirmar aqui  que a Ciência vem desvendando o que não entendemos e eu, embora uma pessoa de formação cultural extremamente relaxada e didaticamente mais estrangulada ainda, gostaria de assegurar o quê vi, acompanhei, assisti,  li. O que falta é uma reunião  e sistematização de toda esta matéria para um novo avanço.   
Tenham um excelente fim de semana. 
J. R. M. Garcia.

domingo, 2 de novembro de 2014

= NÃO É SENSACIONALISMO ! =


É notícia de hoje:

“Estudo da ONU conclui que o aquecimento global nunca esteve tão acelerado. O relatório sobre Mudanças Climáticas, divulgado neste domingo pelas Nações Unidas, traz dados alarmantes.”

E advertiu:

“Os cientistas concluíram que a temperatura média da Terra aumentou 0,85 grau Celsius entre 1880 e 2012. Os números indicam um ritmo inédito no aquecimento global. O documento deixa claro que o mundo tem pouco tempo para evitar que a mudança climática supere os dois graus Celsius, como determina um acordo internacional.”
E concluiu:
“Regiões costeiras do planeta serão gravemente prejudicadas e algumas ilhas desaparecerão. O documento ainda indica que o aquecimento global já está reduzindo a oferta de água potável e ameaçando animais com a extinção.”
E a pergunta que faço é simples:

Existe paradigma capaz de garantir o crescimento da espécie humana sem a utilização de aviões, tratores, caminhões, automóveis, trens, navios, energia elétrica, elevadores, vias asfaltadas, internet, telefonia, assistência médica de excelência?
Aí está.
Sem esta resposta outras não teremos.
É nos laboratórios, sem o objetivo meramente especulativo é, que poderá achar este resposta.
Se assim não for....
Tenham uma ótima semana com muita chuva.
J.R.M.Garcia.