quinta-feira, 30 de maio de 2013

- DOUTRINA POPULACIONAL MALTHUSIANA-

MALTHUS
Quem foi Thomas Robert Malthus ?
Economista, estatístico, demógrafo e estudioso das Ciências Sociais. Reuniu fatos, estatísticas e deu ao mundo sua Doutrina Populacional Malthusiana.
Pelos idos de 1798, Malthus, preocupado com o crescimento populacional acelerado, publica uma série de ideias alertando sobre a importância do controle da natalidade, afirmando que o bem estar da Humanidade estaria intimamente relacionado com o crescimento demográfico do planeta. Ele alertava que o crescimento desordenado acarretaria a falta de recursos alimentícios para a população, gerando como consequência a fome. Malthus previa que a população crescia em progressão geométrica, enquanto que a produção de alimentos aumentava em progressão aritmética.
A conclusão final do grande pesquisador foi  a de que, inevitavelmente, a fome seria uma realidade, caso não houvesse um controle imediato da natalidade.
Genial. Mas há equívoco na ideia.
Com a síntese deste pensamento ele bateu de frente com todas religiões, seitas de várias ordens, indistintas organizações sociais e  termina por contrariar frontalmente o ideal da Humanidade, onde a expansão e o necessário consumismo, é o desejo de todos.
Sua conclusões não  poderiam ter cessado aí. Elas deveriam ir muito além do até então observado pelo grande estudioso das Ciências Sociais. 

CONSUMISMO  EXAGERADO

O que o grande economista deveria ter afirmado, é quê o planeta não poderia suportar o consumo de energia exigido pela Humanidade na proporção do tempo em que esta exigia. Ao fixar-se unicamente na quantidade de alimento necessário ao apetite humano, ele limitou-se. O que ele deveria ter asseverado, é que o consumo de energia hidráulica, de petróleo, de carvão de pedra, de água potável, de saúde, de educação, de saneamento básico, de estradas, de lazer, de segurança pública, de comunicação, de ensino disciplinar,  de bem estar social, de civismo não seria possível nos moldes em que agora estamos. A falta de logística e disciplina poderá nos liquidar.
Devemos viver neste planeta com as cautelas necessárias ao tempo que passaremos por aqui. Mantermos a disciplina de todos nós, é uma ordem necessária e precisa ser obedecida. Se assim não for destruiremos a casa que habitamos. Na haverá o dia de amanhã.

NÃO TEM QUE SER ASSIM

O “crescei e multiplicai” está muito mais ligado a qualidade do que a quantidade de seres humanos.
Um convite a meditação.  
Tenham um excelente fim de semana.
Abraços a todos.

J. R. M. Garcia.



terça-feira, 28 de maio de 2013

DESABAFO

QUE  RAIVA !

Dia a dia tenho maior dificuldade ao redigir esta crônica. E, hoje, ainda mais.
Por quê ?
Talvez por sentir maior pressão nas muitas entradas de visitações ao Blog. Faço-me, pois, mais responsável para expor uma qualidade melhor na composição dos textos.
Fumo o cachimbo, rodeio o Lep, deixo-o ligado e vou andar um pouco. Ouço a chuva, sinto a brisa, espio as nuvens, observo as montanhas ao longe, a cidade a distância com seus grandes espigões, penso em assuntos do passado, do futuro cada dia mais estreito. Recorro a todas idéias possíveis, mas as vejo muito formuladas, rasantes e não consigo uma expansão na imaginação como desejaria.
QUEBRANDO TELEVISÃO

Ligo a televisão. Mas, quanto crimes hediondos ! Problemas de toda ordem, no mundo e no Brasil. Desligo-a. Não compensa.
No fim fica-me a ideia de que sempre se tem que repetir o mais do mesmo. E isso é um horror.
Não me quero fazer cansativo e nem repetitivo.
A sirene, do que creio seja uma ambulância, faz-se ouvir ao longe. Penso o que todos pensam: “Quem será que vai ser socorrido ou já o foi. Será que está mau ou apenas um alarme falso. Já me vi dentro de uma. Um horror...”

EM  ORAÇÃO
Mas, o quê desejo ?
Desejo despojar minha escrita, liberando-a de toda e qualquer concessão redacional, procurando antes construir o texto do que escrevê-lo. Isso é o que procuro. Mas, apenas ao escrever um parágrafo dentro deste objetivo, consome-me toda uma manhã.
E, de mais a mais, isso aqui é um Blog e exige concisão, resumo. Períodos curtos, frases diminutas, pontuação precisa. O bom seria mesmo usar somente frases telegráficas.
Voltarei depois com uma crônica melhor.
Abraços amigas(os).
J. R. M. Garcia

domingo, 26 de maio de 2013

AINDA A TERCEIRA IDADE -Por Rafinha Feliz-

SOBRE TERCEIRA IDADE
Por Rafinha Feliz



Eh !
Esse tema é mesmo complicado.
Não  acho e nem concordo, que  a terceira idade é o melhor período da vida...
Mentira!
Acompanhei minha avó e vi que, aos poucos, ela ir perdendo o vigor, a jovialidade, a memória falhando, e as doenças irem aparecendo.
Muito triste a velhice.

GRANDE MENTIRA

Não reconhecemos mais aquela pessoa cheia de vida e alegria que conhecíamos.
Tudo se torna mais complicado, a locomoção é difícil, o brilho do olhar desaparece.
Vi minha avó tão linda e cheia de vida ir, aos poucos, se tornando uma sombra daquilo que foi!.
Muito triste...
Agora me pergunto?
Aonde está a beleza da terceira idade?
Não se paga passagem de ônibus, no cinema e teatro paga-se meia entrada, não se enfrenta filas de bancos.
Certo. E daí ?
Alguns já  não podem ir a cinemas e teatros, pois muitas vezes a visão já esta comprometida, e as dificuldades no andar ,já se manifestam...
Pra que então esses benefícios? Poucos fazem uso deles....Já não há mais tempo para aproveita-los!


É cruel envelhecer...
Agora tenho meus pais...sei que terei que acompanhar esse processo, e me dói muito pensar sobre isso.
Um dia serei eu...
Vou ter que aceitar, mas que é difícil,  isso é!!
Parabéns pela crônica!
Bom final de semana.
Por Rafinha Feliz




sexta-feira, 24 de maio de 2013

O POBRE MAIS RICO DO MUNDO



















VÁRIAS FOTOS DE MUJICA

    Quem é Mujica ?
   Um pastor ? Um pobre andarilho ? Um paladino da pobreza ? Um padre católico ? Uma espécie de Diógenes ?
    Se você quiser, duvide. Se achar que o conhece, diga. Mas se achar que não conhece, dê respeitosas gargalhadas pela originalidade.
    Claro que Mujica, (pronuncia-se “murrica”), é sim uma pessoa simples, pobre, sem grandes pretensões.
    Mas de fato, quem ele é ?


       Nada mais nada menos que o Presidente da República Oriental do Uruguai, uma nação de 3,3 milhões de pessoas, um dos países economicamente mais desenvolvidos da América do Sul, com um dos maiores PIB per capita, em 48º lugar no índice de qualidade de vida (2011) e o 1º em qualidade de vida/desenvolvimento humano na América Latina. A Reader's Digest classificou o Uruguai como o nono país "mais habitável e verde" do mundo e o primeiro nas Américas.

CAPITAL DO URUGUAI

      O país é uma democracia constitucional, onde o presidente cumpre o papel de chefe de estado e chefe de governo.
      O Uruguai foi o primeiro país sul-americano a legalizar uniões civis do mesmo sexo e de sexos opostos a nível nacional; o primeiro a permitir a adoção gay e a testar o cultivo de cânhamo. Entre os anos de 2007 e 2009, O Uruguai foi o único país das Américas que não passou por uma recessão econômica técnica (2 trimestres consecutivos de retração). O Uruguai é reembolsado pela Organização das Nações Unidas pela maioria dos seus gastos militares, visto que a maior parte desses gastos é implantada nas forças de paz da ONU. Em 2009, o Uruguai se tornou o primeiro país do mundo a oferecer um laptop e internet grátis sem fio para cada criança do ensino primário.


      Mas que Presidente é esse ?
      “É o Presidente mais pobre do mundo”. Vive em uma chácara e doa 90% todo salário.
      “Ele é, com certeza, um dos presidentes mais diferentes que você já viu. Além de doar quase todo o salário que recebe, ele não quis saber de morar no palácio e escolheu como residência oficial uma chácara bem simples.”
Poucos quilômetros fora da capital Montevidéu, já saindo do asfalto. Na curva, se avista um campo de acelga. Mais à frente, um carro da polícia e dois guardinhas: o único sinal de que alguém importante vive na região.”

MUJICA DEBRUÇADO NA CERCA DA HUMILDE CASA ONDE RESIDE

Que cidadão é, exatamente, esse ?
O morador ilustre é José Alberto Mujica Cordano, conhecido como Pepe Mujica, presidente do Uruguai.
O Presidente justifica-se nestas palavras.  “Primeiro, eu ficava feliz se me davam um colchão. Depois, vivi muito tempo em uma salinha estreita (estava preso), e aprendi a caminhar por ela de ponta a ponta”.
No bairro Prado, a paisagem é de casarões antigos, da velha aristocracia uruguaia. É onde está a residência Suarez y Reyes, destinada aos presidentes da República. Esse deveria ser o endereço de Pepe Mujica, mas ele nunca passou sequer uma noite no local. O palácio de arquitetura francesa, de 1908, só é usado em reuniões de trabalho.

Algumas frase lapidares e polêmicas de Mujica.

“Estamos governando a globalização, ou a globalização é que está nos governando?”

“Pobres não são aqueles que têm pouco, mas aqueles que querem muito”,

“O que nos preocupa não é tanto a droga. O que nos preocupa até a morte é o narcotráfico, uma coisa diferente”.

“A maneira tradicional [de combate às drogas] não está funcionando. Alguém tem que ser o primeiro a tentar isso”.

“Existe uma esquerda que se esqueceu de lutar pelo poder e agora se entretém em discutir o casamento igualitário. Mas os casais do mesmo sexo sempre existiram”.

Livre, independente, este é o Presidente mais pobre da América e o mais animicamente rico de todos. Quase um pensador ou, quiçá, o seja. 
Um ótimo fim de semana a todos vocês amigas(os).
J. R. M. Garcia.  








quarta-feira, 22 de maio de 2013

TERCEIRA IDADE

VELHICE ATÔNITA

         Assunto tétrico esse ?
      Também acho. Mas a madrugada já vai alta e tamborilo esta crônica no escuro, no silêncio da noite enluarada que corre. A noite vai rolando fria e quero conversar com vocês aqui. Depois ainda vou montar a crônica com fotos e postá-la a vocês.
      Sempre tive medo de abordar este tema. É delicado. Complicado. Nem todos estão de acordo. Há uma literatura otimista muito divulgada sobre o assunto.
      Porém, deixar, por medo, a análise desta condição humana com uma visão realista, é uma espécie de desafio.
VELHICE CONSCIENTE

      O que se difunde no mundo todo atualmente, é que a “terceira idade” é o melhor período da vida. Aliás, isso é até objeto de propaganda maciça na mídia.
      Eu tenho dúvidas sobre isso. Tanto se mente que até aos velhos convence.
      Conceituar a terceira idade saudável, é preciso quase um livro.
      Contudo, isso aqui é apenas um Blog -quantidade limitada de palavras e assuntos resumidos-.
      Vamos por partes.
Para que se chegue a terceira idade bem, você precisa no mínimo de rendimentos pessoais para si e um pouco para seus herdeiros; ainda legar bens; deixá-los em uma posição cômoda funcionalmente; deixar rendimentos líquidos a sua ex-esposa. Se tiver amante...nem ouso pensar. O problema se complica exponencialmente. É o caos.
Aí, deste modo preparado, pode-se pensar nesta chamada terceira idade. Do contrário, se assim não for...
E os bens casados ?
Talvez os problemas diminuem, mas de qualquer forma a ideia financeira central continua.
Pareço frio nesta abordagem, mas na verdade é isso que vejo e sinto.
Se pensam que sou um analista gelado, digo-lhes servindo um com um copo d’água fria: isso se você é amado, respeitado, sabedor de uma vida dedicada aos filhos, à família e útil provedor aos que quer bem. Afora isso...nem imagino pensar.

VELHICE INCONSCIENTE
Quanto as mulheres, o fim não é exatamente este se ela tiver um ex-marido atento a prover-lhe.

VELHO DE BENGALA
Quanto ao mais, se você tiver saúde para aguardar a visita final da parca, a vida vai indo, indo, indo como em uma decida agora rápida para um fim certo, inarredável, a qual se dá cheio de restrições cada dia maiores, limitações físicas e funcionais que nunca imaginou.
Mas se morremos jovens, nem esta chamada “terceira e última idade” teremos.
E tudo isso com grandes agradecimentos sinceros a Deus, pela  felicidade de termos passado por este mundo cheio de trabalho, criando um pequena família feliz e útil a Sociedade.  
Quanto ao resto, de resto, é resto.
Tenham sempre uma boa semana.
Abraços.
J. R. M. Garcia.  








terça-feira, 21 de maio de 2013

=AINDA SOBRE A FELICIDADE= COLABORAÇÃO ANÔNIMA DE UMA LEITORA=

IMAGEM  DA  FELICIDADE

Bom dia!!

Um "BOM DIA"!! alegra.
Que o seu dia seja feliz!!
O riso solto de uma criança, traz luz a um dia acabrunhado, rsrs...

Uma noite bem dormida, ou bem acompanhado ( leitura, música, sonhos, amores,...) é motivo de alegria.
Olhar pro céu e conseguir enxergar além das estrelas, é festa.
Um amigo é Graça, dois é Benção.
Altos e baixos faz parte da vida.
Viver plenamente na alegria deve ser monótomo.
Passar pela vida lamentando é perda de tempo.
Somos o q somos, arriscando, acertando, aprendendo e seguindo a cada novo desafio.
A alegria está em buscar e permanecer o máximo de tempo possível na sensação de bem estar.
A ausência de fatos relevantes q nos dê esta sensação, nos traz frustração.
Porém se temos um arquivo repleto de fatos alegres, pq não usamos nossa capacidade em acessar e tornar a vida mais bela?
A escolha está em nossos corações.
A cada novo amanhecer, nova oportunidade.
Que hj vc tenha o melhor de seus dias.



domingo, 19 de maio de 2013

=RESIGNAÇÃO=

RESIGNAÇÃO 

Perdoem-me os que não concordarem.
E eu digo para os muito inteligentes, os nem tanto, ricos, pobres, ousados ou não, vitoriosos e derrotados, ambiciosos ou poucos ambiciosos, felizes, infelizes, alegres e tristes...
O que digo ?
Digo clara e objetivamente que o pouco de felicidade que podemos ter neste pequeno planeta, volteando uma estrela de quinta grandeza, existe -se de fato existe- na atitude simples, simplória até, da concepção psíquica na resignação. A melhor conceituação que encontrei foi essa: "A resignação, ou ainda aceitação, na espiritualidade, na conscientização e na psicologia humana, geralmente se refere a experienciar uma situação sem a intenção de mudá-la. A aceitação...nem necessita que a situação seja desejada ou aprovada por aqueles que a aceitam.”

ALEXANDRE CHEIO DE GLÓRIA RETORNANDO A GRÉCIA

Tomemos o gesto lendário de Diógenes frente a Alexandre Magno, na Grécia antiga.
Consta que tendo Alexandre conquistado o mundo civilizado de então, volta à Grécia. Ali recebe de todos sábios, pensadores, ricos, políticos, magistrados, figuras exponenciais da sociedade, reverências e comendas. Mas um deles não estava ali: Diógenes. Reconhecidamente um filósofo expressivo, que Alexandre muito admirava, não estava na comitiva dos festejos de reverências.

 ALEXANDRE ENCONTRA DIÓGENES

Dia seguinte Alexandre vai até a humilde choça onde Diógenes morava na praia, em um logradouro afastado da cidade. Encontra-o deitado tomando sol.
Alexandre chega com sua guarda pessoal, em desabalada carreira, até o humilde casebre de Diógenes. Diógenes continua deitado. Em um misto de surpresa e desalento, Alexandre se dirige a ele:
--Que me diz, Diógenes ?
       Silêncio.
--Bem sabe que levei até as fronteiras do mundo as conquistas da Grécia. Admiro você. Mas entristeço-me ao vê-lo nesta vida miserável. Diga-me o que posso fazer por você ? -indaga o maior Imperador que o mundo conheceu até então-
 E Diógenes, em um pequeno gesto e com algum desdém mal disfarçado, responde:
--Afaste-se um pouco do sol para que não me impeça com sua sombra de tomá-lo em meu corpo.

ALEXANDRE  IRRITA-SE COM DIÓGENES

Alexandre franze o cenho. Enrubesce. Sente-se ofendido na atitude inusitada de Diógenes. Sua guarda pretoriana aproxima-se mais daquele pobre que ousa escarnecer do senhor de todos os senhores. Todos aguardam um trágico desfecho. Por um fio o filósofo estava da morte violenta. Os áulicos já tinham na mão o copo das espadas.
Alexandre, assustando a todos, sorri. Sorri e vai logo para uma gargalhada sem par. Era, afinal, um grego.
E, montando sua sela, diz em voz alta para o velho Diógenes, que também já agora gargalhava:
--Se eu não fosse Alexandre, gostaria de ser Diógenes.
Afinal, como nem na tragédia os gregos choram, ambos separam-se gargalhando.
 Esta é a alegre resignação de que falo.
 Sem tirar nem por.
 Direi mais depois.
 Uma ótima semana para todos.
 Abraços.
       J. R. M. Garcia.  



quinta-feira, 16 de maio de 2013

FELICIDADE ?

PESSOA   FELIZ

Este é um assunto complicado. Uma seara na qual, entrando-se, é muito difícil sair.
O que seria uma pessoa feliz ?
Que pergunta !
Antes, talvez, devêssemos indagar: O estado de felicidade é permanente ou meramente transitório ?
Se é transitório, teríamos apenas momentos felizes. Estes momentos não teriam continuidade.
Se permanente, devo imaginar que o estado de felicidade seria relativamente constante. A isso devo supor que esta circunstância não é, pelo menos, comum às pessoas que conheço.
Imagino que sentir-se feliz é um estado mais ou menos transitório. Vai e volta e volta e vai. Isso porque temos dissabores mais ou menos constantes.

TRABALHANDO A FELICIDADE


O estado de felicidade permanente, se assim podemos chamá-lo, é exatamente um processo de lidarmos com os momentos infelizes que vivemos em um determinado momento.  Indiscutivelmente a fé, para os que a tem e professam, é um meio de conferir uma espécie de compreensão para as horas tristes, com as quais consolamo-nos dando-as por inevitáveis neste mundo.
Não creio que sem esta resignação de aceitação alegre com os fatos desta vida, possamos ter algum consolo de esperança neste mundo. Não creio, também, que esta visão de resignação voluntária seja uma farsa e, tão pouco, uma fantasia. Creio, ao contrário, que esta atitude mental cria mesmo uma certa alegria em nós mesmo dentro dos piores momentos neste mundo.

RISO FELIZ 

Já os instantes de felicidade, onde tudo nos parece pleno e cheio de alegria, esperança e amor pelo mundo, imagino que sejam poucos e, por isso, quando os temos agradeçamos a um Deus qualquer, pois são realmente de grande valia a nossa vida.
Tenham, todas(os) um ótimo fim de semana.
Abraços.
J. R. M. Garcia. 



quarta-feira, 15 de maio de 2013

AGRADECENDO

AGRADECENDO  A  TODOS

       Minhas opções aqui são, na verdade, poucas.
       Verdade.
       Tenho de policiar-me.
Escolho assuntos possivelmente interessantes. Tenho cautela no uso do vocabulário. Distancio-me das opiniões meramente afirmativas. Tento demonstrar, em poucas palavras, minhas ilações pessoais. Busco sumular ao extremo a redação, pois a linguagem de um Blog usa o mínimo de palavras, procurando trazer o máximo das ideias e fatos. Os temas devem ser universais e não particulares. A matéria tratada há que ser atual e genérica. Assim, um Blog como o nosso trás liberdades muito amplas, mas por isso mesmo cautelas muito grandes.
Mas, mesmo pautando por estas cautelas os erros sempre existem e, graças a Deus, a crítica vem em forma de e-mails. Sempre respondo a todas com humildade. Entendo-as como observações que constroem. Sempre.

HOMENAGEM AO LEITOR


Estive doente, como lhes dei ciência aqui e, por isso, afastei-me das crônicas e artigos do Blog.
Contudo, sabe o quê me surpreendeu ?
Mesmo na ausência das matérias que publicava regularmente, as entradas no Blog diminuíram, mas não desapareceram.
Hoje completamos a visualização de mais de 21.000 visitas.
Curioso isso.
Devo ter agradado a vocês queridos leitores.
Sinto-me gratificado e não poderia deixar de agradecê-los a todos aqui.
É o que faço.
Muito obrigado mesmo. Com humildade agradeço-os ao ultrapassar 21.000 visitas.
Abraços.
J. R. M. Garcia. 



terça-feira, 14 de maio de 2013

SOMOS TODOS COADJUVANTES

           







                              
                            
   ATORES  COADJUVANTES

Depois de uma longa conversa telefônica com uma amiga, esta afirmou ao seu final, que todos somos apenas e tão só coadjuvantes da vida de terceiros.
              Fiquei surpreso.
  Somos amigos há muitos anos. Ela vem de uma formação cultural muito piedosa e cheia de compaixão. Mais por isso foi que surpreendi-me.
              O que vem a ser este palavra ?
       “Coadjuvante. Aquele que coadjuva, ajuda, concorre para um fim comum. Quer dizer, aquele ator(a) que participa da cena e está ligado(a) direta ou indiretamente com o papel do protagonista. Ator que interpreta papeis secundários.”
    Após pensar, meditar sobre sua assertiva, minha surpresa inicial passou a um grau de plena aceitação objetiva do termo.
       Em um certo sentido sua observação é, realmente, um fato simples de constatar.
       Afinal, quem vive em mim ?
     Certamente minha vida é minha e de mais ninguém. Posso fazer dela uma meta que está fora de mim, mas na verdade a vida pertence-me, tenho de qualquer forma de vivê-la. Sem a vida não me habito.
       Se assim sou eu, também o sou para mim próprio. Não posso renunciar a vida, exceto em circunstâncias muito particulares.
       Desta constatação vem-me a conclusão que todos são deste modo. Todos vivem em si, mesmo que ainda fora de si.
       Vivo em primeiro lugar para mim próprio com todas as circunstâncias que me rodeiam. Sou de minha vida o ator principal. E os que estão fora de mim são, também, os atores principais de suas próprias vidas.
     Fica-me evidente, por óbvio, que cada um é o autor/ator de sua vida. O que posso é tão só ou auxiliá-lo ou não em sua própria trajetória neste mundo. A estimulá-la ou não. A aprová-la ou não. Querê-la ou não. Isso por mais que ame a outra pessoa não posso viver sua vida e nem devo desejar isso. Seria absurdo.

TEXTO IMORTAL DE EXUPÉRY

       Deste modo, em rápidas palavras, devo negar o sentido daquele que se empresta as palavras do extraordinário pensador  Antoine de Saint-Exupéry: "TU TE TORNAS ETERNAMENTE RESPONSÁVEL POR AQUILO QUE CATIVAS."

 Antoine de Saint-Exupéry

     Nem por um minuto este texto acima é válido. Que me perdoem os admiradores Exupéry, pois na verdade somos da vida do outro apenas coadjuvantes. Só.
       Assim, pois, não traga sobre si mesma(o) o peso da responsabilidade de faltar a aqueles que eventualmente tanto ama.  Não jogue sobre si o peso deste amor a evitar-lhes eventuais sofrimentos neste mundo.
    Lembre-se que da vida do próximo você não consegue ser senão mero ator coadjuvante.
       Nada mais.
       Uma ótima semana amiga(o).
       J. R. M. Garcia.